sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Senador Randolfe propõe aumento nas penas de maus-tratos a animais. O projeto entra em pauta dia 11/12 no senado.

O senador Randolfe Rodrigues (REDE –AP), apresentou, nesta quarta-feira (5), um projeto de lei que aumenta de três meses para até três anos a pena de maus-tratos contra animais, e estabelece punição financeira para os estabelecimentos comerciais que sejam coniventes com esta prática. Para o senador Randolfe, é inadmissível o fato do crime contra patrimônio ter uma pena superior aos crimes de mau tratos. Está pautado para a próxima terça feira a votação no Senado Federal.

O projeto ganhou forma uma semana depois da morte do cachorro cruelmente espancado com um cabo de vassoura e envenenado por um funcionário do supermercado Carrefour, Carrefour de Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo, fato que causou comoção dos brasileiros nas redes sociais.

Hoje, os crimes de maus -tratos e abandono são considerados crime de menor potencial ofensivo, e a penalidade é facilmente revertida em trabalhos sociais, por exemplo. “Só para se ter ideia, o crime de dano, de “destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia”, previsto no artigo 163 do Código Penal, possui penalidade 6 vezes maior que o crime de mutilar um animal”, justificou Randolfe.

Para o senador, “é preciso repensar na modificação da lei para uma maior proteção aos animais”. E, para isso, “os crimes precisam ser punidos com mais rigor – inclusive com a reclusão – e as penas devem ser mais duras àqueles que cometem esse absurdo.

No projeto, Randolfe expõe que o Brasil possui a quarta maior população de animais de estimação no mundo, segundo levantamento da empresa de pesquisa de mercado Euromonitor, e para ele, “não é possível, diante da realidade social ocupada pelos animais na sociedade moderna, enquadrá-los como meros objetos”.


quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Lacre plástico faz golfinho em extinção morrer de fome na costa de SP

Uma toninha (Pontoporia blainvillei), espécie de golfinho de menor porte, foi encontrada com um lacre que a impedia de se alimentar, próximo à orla de Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo o instituto que o resgatou, o animal já estava morto, com sinais de desnutrição e com plásticos no sistema digestório.

A localização ocorreu durante o fim de semana por um pescador, depois que a toninha, já sem vida, ficou presa acidentalmente na rede que ele havia jogado no mar. Tratava-se de um macho adulto, que foi entregue à equipe do Instituto Biopesca, responsável por fazer o monitoramento costeiro daquela região.

Segundo o veterinário responsável do instituto, Rodrigo Valle, essa espécie de golfinho corre risco de extinção. Segundo ele, o animal estava visivelmente magro, o que indica que ele não conseguia se alimentar há algum tempo, em razão do lacre em forma de argola preso ao rostro (estrutura que se assemelha a um bico).

Além disso, ao ser submetido a exame necroscópico, a equipe do instituto também verificou que não havia qualquer alimento, além de pedaços de plástico, no sistema digestório da toninha. Para Valle, a morte desse animal evidencia o impacto humano diante do ecossistema marinho dessa região do estado.

--
Att;
KÉLVIN BRAGA PEREIRA

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

VIDEO em que mostra o segurança do CARREFOUR batendo no animal, é divulgado por Luisa Mell

CENAS FORTES! Imagens de câmera de segurança mostram que funcionários do Carrefour de Osaso teriam espancado e envenenado cachorro de rua. BARBÁRIE!


Prefeitura de Osasco (SP) descreve estado lastimável em que animal chegou ao CCZ

Seguem as investigações e aumenta a indignação com o caso do cãozinho espancado no Carrefour de Osasco que acabou morrendo devido à intensa perda de sangue. Testemunhas apontam para um segurança da empresa CTS Vigilância e Segurança Privada, contratada pelo hipermercado.

Em nota oficial a prefeitura de Osasco diz que o Departamento de Fauna e Bem Estar Animal esteve no Carrefour da Av Autonomistas no dia 28, às 10h, para prestar atendimento a um cachorro ferido e sangrando.

Diz a nota: “A equipe esteve no local e constatou a existência de um animal de espécie canina com sangramento intenso. O manejo foi realizado por um oficial de controle animal qualificado e o animal foi encaminhado ao departamento para atendimento emergencial”.

E descreve o estado do cão: “O animal deu entrada consciente no departamento em decúbito lateral (deitado de lado), mucosas anêmicas, hipotensão severa (pressão baixa), hipotermia intensa, hematêmese (vômito com sangue) e escoriações múltiplas. Apesar do tratamento instituído o animal veio a óbito”.

Diz ainda que no dia 1º de dezembro o Departamento de Fauna e Bem Estar Animal passou a receber informações que se tratava de um caso de maus-tratos e foi iniciada a apuração do caso com solicitação de inquérito policial sob a responsabilidade da Delegacia Especializada de Osasco.

A prefeitura se manifestou por meio dessa nota porque o Hipermercado Carrefour teria insinuado que o cão pode ter se ferido ao ser capturado pelo CCZ com a ajuda de um cambão. Vídeo postado no Facebook do vereador Ralfi de Osasco mostra o momento do resgate. Além do vereador Ralfi, os deputados Feliciano Filho (PRP-SP) e o Delegado Bruno Lima (eleito em outubro) estão acompanhando o caso para exigir punição exemplar de todos os envolvidos.

Priscila Soares, advogada da ABRAA – Associação Brasileira de Advogados Abolicionistas também acompanha o caso desde a semana passada: “Tem testemunha que viu o segurança com o cabo de vassoura e também existem as imagens das câmeras de circuito interno. Também tem o laudo relatando o estado que o animal foi resgatado. Então após a análise das provas colhidas, acredito que será possível constatar o espancamento e o autor do crime”.

O abaixo-assinado pedindo punição dos envolvidos no crime já está com mais de 377 mil assinaturas e estão previstas manifestações na frente do Carrefour Osasco no próximo sábado, dia 8, às 15h e no domingo, dia 9, às 10h.

*Fátima ChuEcco é jornalista ambientalista e atuante na causa animal