A pedido da dona, cachorro saudável é morto nos EUA para ser sepultado junto a ela



Uma cadela da raça Shih Tzu chamada Emma foi sacrificada para atender a um pedido da dona, morta em março: ser sepultada junto ao corpo do animal.

O caso ocorreu em Chesterfield, na Virgínia (Estados Unidos) – estado onde a lei considera cachorros e outros bichos de estimação propriedade dos donos.
Depois da morte da dona, Emma ficou duas semanas em um abrigo para cães. Nesse tempo, o responsável legal pelas propriedades da mulher tentou reaver a cadelinha.

A equipe do abrigo tentou ficar com Emma, e se ofereceu para colocá-la em adoção. O executor, entretanto, se recusou e levou a cadela a uma clínica veterinária, onde foi sacrificada.

O corpo de Emma foi cremado, e as cinzas, depositadas em uma urna colocada na sepultura da dona.

Ato é legalizado na Virgínia
Segundo a rede norte-americana CNN, apenas alguns dos estados norte-americanos permitem decisões do tipo.

Na Virgínia, onde Emma foi sacrificada, veterinários e outros profissionais autorizados podem aplicar a eutanásia em qualquer situação, caso seja o desejo do dono. Os dois corpos só podem ficar sepultados juntos, entretanto, em locais específicos de alguns cemitérios.

Apesar da permissão, a maior parte dos veterinários considera a prática cruel. Alguns até se recusam a fazer isso.

Em outros estados, porém, são os donos que pedem para – depois que morrerem – ser sepultados juntos aos cães em cemitérios de animais.